segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Grandes pilotos do passado: Juan Manuel Fangio

Caros leitores, dando sequência a série de posts sobre os pilotos dos carros que fiz em miniatura, vou falar um pouco sobre o maior piloto da fórmula 1 no passado, que pilotou vários destes carros:

Juan Manuel Fangio

Nascido em Balcarce na Argentina em 1911, Juan era filho de imigrantes Italianos. Desde cedo mostrou sua paixão pelos carros, logo após completar o serviço militar abriu a sua própria garagem, e começou a disputar corridas em eventos pela Argentina afora. Eram geralmente corridas de longas distâncias e em estradas muitas vezes precárias. Em 1940 ganhou o grande prêmio del Norte em um percurso de 10.000 Km. Esta corrida entre Buenos Aires e Lima no Perú, tinha trechos através dos Andes. Após muitos sucessos em provas com carreteras, ele foi enviado para a Europa após a segunda guerra, patrocinado pelo governo da Argentina. Com 37 anos ele já havia obtido sucessos regulares nas pistas. Em 1950 foi convidado a correr pela equipe da Alfa Romeo, ao lado de Nino Farina, sendo Nino o campeão, e Fangio segundo lugar. Em 1951 ainda na Alfa Romeo pilotando a Alfetta 159 (no ano anterior denominada 158) conquistou o primeiro título mundial. Correu ainda com o BRM type 15 V16 ao lado de Froilán Gonzales.


Fangio pilotando a Alfetta 

Fangio pilotando a Alfetta 
Alfa Romeo 158 "Alfetta" 1950


Alfa Romeo 158 "Alfetta" 1950


BRM Type 15 V16 1950

BRM Type 15 V16 1950




Em 1952 Fangio sofre seu primeiro grave acidente em Monza, onde fraturou o pescoço. A Maserati de Fangio rodou e pegou um barranco de barro, fazendo com que o carro desse uma pirueta no ar, sendo Fangio lançado para fora do carro. O acidente foi quase fatal, deixando Fangio entre a vida e a morte, e fez com que perdesse o resto da temporada. No ano seguinte ele voltou pilotando a Maserati A6GCM e obteve um segundo lugar no campeonato. Em 1954 ele iniciou a temporada na Maserati, e depois trocou de equipe indo para a equipe da Mercedes-Benz, e com o lendário W196 conquistou seu segundo título mundial.

Fangio com a W196

Fangio com a W196

Estátua em homenagem a Fangio com a W196



A Mercedes W196 Em miniatura

A Mercedes W196 Em miniatura

A Mercedes W196 Em miniatura


Em 1955 ele continuou na Mercedes e obteve seu tricampeonato. Na temporada de 1956, ele mudou novamente de equipe, e correndo pela Ferrari-Lancia com a D50 sagrou-se tetra-campeão.


A Lancia-Ferrari D50 

Em 1957 mudou novamente de equipe, voltando a Maserati para pilotar a 250F, com a qual conquistou o penta-campeonato, em uma brilhante temporada.


Fangio a bordo da Maserati 250F


Maserati 250F Ligthweigth 1957

Maserati 250F Ligthweigth 1957

Maserati 250F Ligthweigth 1957


Na temporada de 1958 a qual seria sua última, Fangio terminou em quarto lugar, pois sua Maserati já não era mais competitiva frente aos novos Cooper Climax com motores traseiros. Fangio foi sem dúvida um dos maiores pilotos da fórmula 1 de todos os tempos.